Assembleia aprova novo Dissidio Arroz

Os trabalhadores  nas indústrias do setor do arroz de Pelotas aprovaram a proposta de dissídio da categoria, em duas assembleias ( manhã e noite) realizadas ontem, (23/03/2017) no Sindicato da Alimentação de Pelotas. O aumento salarial foi de 5% e vale a partir de 1º de março de 2017. Os valores ficaram assim:  Serviços Gerais: R$ 1.294,00. Profissionais: R$ 1.449,50. Auxilio escolar: R$ 506,00. Manutenção das cláusulas do dissídio...

Novos Pisos da Panificação 2017

Panificação tem antecipação salarial em março/17 CLÁUSULA QUINTA – As empresas reajustarão, em março de 2017, todas as faixas salariais no percentual de 5% (cinco por cento), a título de antecipação salarial do dissídio 2017/2018. Veja como ficam os novos pisos; PADEIROS, MASSEIROS, CONFEITEIROS (AS) e FORNEIROS: R$ 1.386,00 (um mil trezentos e oitenta e seis); QUADRISTAS E AJUDANTES: R$ 1.244,25 (um mil duzentos e quarenta e quatro reais com vinte cinco centavos); BALCONISTAS e SERVIÇOS GERAIS: R$ 1.233,75 (um mil duzentos e trinta e três reais com setenta e cinco...

SINDICATO PARTICIPA DE ATIVIDADES AO LADO DAS MULHERES NESTE 8 DE MARÇO

O Sindicato da Alimentação de Pelotas participou de várias atividades neste 8 de Março de 2017, Dia Internacional da Mulher. O Sindicato participou de audiência pública na Câmara Municipal, composta por quatro vereadoras da Casa: Zilda Burkle, Cristina Oliveira, Daiane Dias e Fernanda Miranda. Logo após, uma marcha seguiu em direção ao prédio do INSS, onde ocorreu intervenção artística e política. As atividades seguiram durante a tarde. com manifestações e exposições de trabalhos, debate sobre Gênero e Saúde Mental no Chafariz da Praça Coronel Pedro Osório, junto à Tenda do Afeto. ATENÇÃO MULHERES! A PEC 287 do governo Temer retira direitos históricos das mulheres, conquistados depois de muitas lutas: Aposentadoria por idade da trabalhadora rural passará de 55 para 65 anos da trabalhadora urbana passará de 60 para 65 anos e tendo de provar 25 anos de contribuição, não mais 15 anos como agora. Além disso, a trabalhadora rural terá de pagar mensalmente suas contribuições o que hoje é feito quando da venda da safra. Aposentadas não poderão receber pensão por morte, pensionistas não poderão receber aposentadoria.Terão de optar entre uma ou outra. A pensão não será mais de 100% do que recebia ou poderia receber, receberá no máximo 60% e poderá ser menos do que um salário mínimo! As mulheres após 30 anos de trabalho e contribuição não poderão mais se aposentar, não haverá mais aposentadoria por tempo de contribuição. Os benefícios de prestação continuada da assistência social passarão a ser concedidos apenas às mulheres com 70 anos de idade que sejam miseráveis, não mais aos 65...

Participe das atividades do Dia Internacional da Mulher

Junte-se a nós neste 8 de março DIA INTERNACIONAL DA MULHER, e venha fortalecer a luta contra o machismo, a violência, a retirada de direitos e a opressão. Ocorrem atividades durante todo o dia de hoje, 8 de março, em Pelotas. Às 8h, acontece uma audiência pública na Câmara Municipal de Pelotas. Partirá da própria audiência, com concentração a partir das 11h, uma caminhada até o prédio do INSS, onde ocorrerá uma intervenção artística em protesto à Contrarreforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição 287/2016). A partir das 14h, no Chafariz da Andrade Neves, haverá panfletagem junto a atividades realizadas pela Tenda Feminista. Logo após, às 16h, tem debate sobre Gênero e Saúde Mental também no Chafariz, junto a Tenda do Afeto, seguido de ato público “Ato Público: Se nossas vidas não importam, que produzam sem nós!”, às 17h. Às 20h30, no Buteco da Filosofia (Bar do Zé), será apresentado um vídeo seguido de debate. Programação 8h – Audiência pública na Câmara Municipal de Pelotas 11h – Concentração na Câmara para caminhada até o INSS, onde ocorrerá intervenção artística em protesto à Contrarreforma da Previdência 14h – Tenda Feminista na Esquina Democrática (Chafariz do Calçadão) – a tenda estará aberta para manifestações e exposição de trabalhos de mulheres 16h – Debate sobre Gênero e Saúde Mental, também no Chafariz 17h – Ato Público: Se nossas vidas não importam, que produzam sem nós!, no Chafariz 20h30 – Apresentação de filme e debate no Buteco da Filosofia (Bar do...

No 8 de março, mulheres vão às ruas contra retrocessos.

Na próxima quarta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, trabalhadoras de todo o país irão para às ruas para barrar a reforma da Previdência proposta pelo governo ilegítimo Michel Temer. Com o lema “Aposentadoria fica, Reforma sai”, as CUTistas em parceria com movimentos sociais e populares irão denunciar os prejuízos que as mulheres sofrerão se esta reforma for aprovada. O projeto de Temer atende a dois grandes propósitos: prolongar ao máximo o acesso e reduzir o valor do benefício. As mulheres serão as principais afetadas com a proposta que desvincula o salário mínimo do benefício, equipara a a idade mínima de 65 anos para homens e mulheres e aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. Se quiser receber o beneficio integral, a trabalhadora ou o trabalhador terá que contribuir durante 49 anos pelo teto do INSS. A desigualdade de gênero na sociedade e no mundo do trabalho impacta diretamente na aposentadoria, mas foi ignorada quando as novas regras foram pensadas. As mulheres têm salários menores, trabalham mais, não tem oportunidades de promoção iguais aos dos homens. Além disso, elas estão nos empregos mais precários e ainda são elas, na grande maioria das vezes, as responsáveis pelos cuidados com a família e as tarefas...